quinta-feira, 7 de setembro de 2017

As origens do povo Shumer (Sumério), são as mesmas origens do povo Hebreu, inclusive sua cor de pele (raça)!

As origens do povo Shumer (Sumério), são as mesmas origens do povo Hebreu, inclusive sua cor de pele (raça)!

Autor: Roberto Das Neves




Por mais de 35 anos, tenho encontrado o mesmo tipo de argumento ateu: “Os Hebreus se inspiraram na teologia dos Sumérios para criar a sua própria teologia”.
Bom, primeiramente o termo correto é Shumério (há uma pequena falha na tradução original das placas de argila contendo sua História, que se perpetuou ao longo dos anos).

Os Shumérios, (sumérios) ou, o povo Shumer, foi a primeira civilização evoluída da terra a se desenvolver ao longo de mais de 5.500 anos.

Estranhamente, esse fato não é levado em conta, pois, costuma-se definir como sendo uma civilização, a sua idade, somente a partir do momento em que essa civilização desenvolva a escrita.
No caso, estima-se então, que essa civilização surgiu à meros 3.000 anos.
Só que, antes da escrita, surge a palavra, a língua de uma civilização, formada por um grupo de pessoas que tem os mesmos ideais.






Antes da criação da escrita, para difundir seus ideais, conhecimentos, conceitos gerais, morais, ideias, e suas teologias, todos os povos usam a memorização de histórias, aliadas a estórias e mitos, através da repetição de informações e ensinamentos ao longo de gerações.

E essas ideias e ideais vão sendo buriladas, ajustadas e polidas ao longo de centenas de anos, até a criação de uma escrita, e mesmo após a sua criação, as ideias, ideais e conceitos, continuam sendo buriladas, corrigidas e filtradas em busca de um ideal de perfeição linguística e pensamento.

Um fato curioso e muito importante e fundamental para entender os Shumérios, é que eles, ao longo de centenas de anos, os seus sacerdotes, começaram a reduzir a quantidade de deuses para eles existentes, amalgamando e fundindo vários deuses em torno de um grupo limitado de deuses, assim, o que eram centenas de deuses, tornaram-se um pequeno e limitado grupo de deuses que possuíam todas as qualidades do grupo original, de um panteão muito maior. Os primórdios da civilização original que espalharam para todo o mundo criando outras civilizações e outros povos se basearam neste povo shumer.

Percebam nas fotos, as barbas dos shumérios, são barbas típicas dos negros e não barbas de europeus.








Percebam nas fotos, as barbas dos shumérios, são barbas típicas dos negros e não barbas de europeus.



Conforme outras civilizações e povos surgiam, eles mesclavam os deuses primordiais shumérios, davam a eles outros nomes, funções e poderes.

Quando a Shuméria estava em seus anos finais de existência, um grupo de pessoas da cidade de Ur, escolhidos pelo CRIADOR, AHAYAH  o único e verdadeiro CRIADOR, através de Abrão. Ele percebeu que todos os deuses eram na verdade, um único CRIADOR e esse CRIADOR: AHAYA, entrou em contato com Abrão e o informou que ele seria a semente para germinar um novo povo, o povo Hebreu.

Mas, esse povo nascido de Ur, que conheceu essa nova e verdadeira teologia e verdade, foi dominada pelos shumérios e por outros povos invasores e se transformaram em cativos dos  shumérios, em escravos e foram retirados de sua região natal, para servir ao povo dominante em outras cidades de outras civilizações.

Esse povo invasor assimilou os deuses Shumérios, mudando seus nomes e assimilaram a escrita desse povo transformando-a em um novo tipo de escrita cuneiforme.

Séculos se passaram ao longo de seu cativeiro, mas, as sementes de uma nova teologia aprimorada de um único Criador: AHAYAH  e as informações básicas, porém, fragmentárias, permaneceram.
Apesar desse povo ter perdido completamente sua história, sua língua, sua teologia completa e a sua origem, ele permaneceu unido, apesar de eles serem transferidos de lugar várias e várias vezes.

E novamente e finalmente, depois de muitos séculos, eles foram transferidos uma penúltima vez de 
lugar, sendo mudados ironicamente, para seu país de origem, a Shuméria (a Suméria), com o novo nome de Mesopotâmia.

Quando foram transferidos pela penúltima vez, ganharam a liberdade, mas, não se sentiam mais parte desse povo primordial, não se sentiam ser o povo Shumer, e então, abandonaram a cidade de Ur, por ser ela habitada por outros povos que não eram o povo primordial Shumer, mas sim, por um outro povo conquistador que se mesclou com os habitantes originais que não foram transferidos e eles adotaram os seus deuses e mudaram novamente seus nomes.

Percebam nas fotos, as barbas dos shumérios, são barbas típicas dos negros e não barbas de europeus.










Enquanto isso, o povo hebreu abandonou a cidade de Ur, para daí então, formar uma nova civilização em um outro e distante local, indicado pelo Criador AHAYAH. Nasce o país de Yashorúl (Israel).
Mas, por terem voltado e passado a adorar outros deuses falsos e não ao CRIADOR, o único, esse povo foi dominado por outro país, o Egito, e tornou-se cativo novamente, até o Criador lhes enviar um novo libertador: Moshe (Moisés).

Seria possível achar indícios desta hipótese?

Somente a parte primordial: A origem, e a parte da miscigenação dos deuses shumérios, a redução do número de deuses do panteão, através delas, poderemos lançar as bases para desvendar todo o conhecimento do povo Shumer e do povo Hebreu.

E como poderíamos encontra-las e valida-las?

No quesito redução do panteão, consultem o livro: Dos Sumérios a Babel
De Federico A. Arborio Mella

No quesito em relação às origens, raça e cor dos shumérios e dos verdadeiros Hebreus:

Consultem as fotografias que estou postando, com o seguinte adendo:
Quando desenterraram as cidades Shumérias, encontraram túmulos da época das primeiras dinastias Reais Shumer, e também de soldados, sacerdotes e criados.
Nesses túmulos, encontraram ossos, e não fósseis. Poderemos pegar alguns desses ossos, extrair seus DNAs e compara-los com o DNA dos verdadeiros Hebreus.
Se comprovarem ser idênticos os DNAs, as alegadas similaridades teológicas cairiam por terra, e descobriríamos a verdade, não são similaridades, mas sim, lembranças fragmentárias de um mesmo povo, que foi arrancado de suas origens, sua pátria e tiveram sua localização mudada várias vezes ao longo de séculos, até esse povo retornar finalmente, para a sua origem ancestral, que acontecerá em breve.

Percebam nas fotos, as barbas dos shumérios, são barbas típicas dos negros e não barbas de europeus.


O verdadeiro povo Hebreu é dividido em três partes: negros, aborígenes australianos e indígenas americanos em todas as américas.

Os judeus ashkenazi não são hebreus, os judeus europeus roubaram todas as Sagradas escrituras pertencentes aos verdadeiros Hebreus, e divulgam mentiras apoiadas pelas falsas escrituras, chamadas: Talmude, Cabala e Zohar, todos elas apoiadas pela Roma europeia católica e pela protestante.



https://www.youtube.com/channel/UCcOnWiTa4GAtRBuZ2WjVR3g








Seria muito interessante que vocês visitassem estas páginas criadas por Hebreus:

https://www.youtube.com/channel/UC8ZkzhJOsFZ3_1x1LbQWBgw

https://www.youtube.com/channel/UCrKvLz4_X6ICyBnRXSzhSvA




https://www.youtube.com/user/CANALULTIMOSDIAS1



Weel. por hoje é só.
Tenham lindos sonhos, apesar de que, ao lerem este texto, muitos terão pesadelos.

Percebam nas fotos, as barbas dos shumérios, são barbas típicas dos negros e não barbas de europeus.







E para encerrar: