sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O professorzinho pateta que deu um tiro em seu próprio pezinho...


Texto criado por: Roberto das Neves.



A alguns dias, eu publiquei um texto chamado: “A verdade é a verdade até o fim dos tempos:

Publiquei no Facebook o link para esse texto em vários fóruns, sendo que, alguns deles, eram específicos, tratam de ciência, física, matemática, astronomia e alguns fóruns de universidades e faculdades.

Um professorzinho doutrinado pela falsa ciência, pela pseudociência, ficou indignado com o texto, e começou a atacar a minha pessoa e não o texto publicado, não atacou as ideias...

Além de me atacar, ele publicou um texto no site da faculdade onde ele leciona e pediu ajuda de outros professorzinhos doutrinados, além de publicar respostas de alunos que apoiavam a sua doutrina religiosa pseudocientífica.

Em um dos fóruns, ele apresentou tabelas de cálculos matemáticos para tentar provar que satélites existem.

Acontece que, cálculos matemáticos e fórmulas matemáticas dizem aquilo que queremos que digam, mas, não dizem necessariamente a verdade, somente experimentos científicos analisados e testados, tem esse poder...
Cálculos matemáticos sem evidências, sem análises e sem serem reprodutíveis, tem  a mesma validade que um horóscopo.

Me acusou de ser um “aloprado terra-chato” e entre outras coisas, ele escreveu: “Na verdade a resposta para tal tipo de alopração não é caso para Física mas para a Psiquiatria! :-) O terra-chatismo somente é possível com muito analfabetismo científico, forte dissociação cognitiva e alienação fundamentalista religiosa...”

Well, well, well, então, o professorzinho pateta me chamou de “alienado fundamentalista religioso”.

E como Pièce de résistance, como a cereja do bolo, o infeliz apresentou um vídeo para tentar provar a “esfericidade da Terra”, um vídeo de baixa resolução, então, procurei o mesmo vídeo, só que, com alta resolução.

O vídeo é este aqui:


link para o vídeo em maiores proporções:

Detalhe, o professorzinho e seus amiguinhos de cátedra, juntamente com seu aluninhos doutrinados, verdadeiros macaquinhos cegos que não enxergam um palmo à frente dos seus próprios narizes, por causa da doutrinação pseudocientífica, se rejubilaram e se congratularam depois de assistirem o vídeo...

Esses professorzinhos acreditam realmente que ensinam ciência, mas, ensinam somente pseudociências, são eles os verdadeiros religiosos fundamentalistas.


Eles acreditam na esfericidade da Terra, só que, essa esfericidade é um mito criado há mais de 2.600 anos atrás pelos gregos, e essa esfericidade jamais foi comprovada.
Assim, eles acreditam em um mito religioso, são eles os religiosos crentes, acreditam que a Terra é uma bola sem evidências comprobatórias, acreditam em mitologia grega.

Então, vamos apresentar as evidências contidas no vídeo, analisando-as por meio da verdadeira Ciência, a Ciência experimentalista e reprodutível.

Vamos apresentar os detalhes do vídeo que os "sapientes  experts", não viram ou então, fizeram de conta que não viram.

Começando pela curvatura apresentada no vídeo.

A curvatura é obtida com o uso de uma lente especial chamada fisheye (lente olho de peixe), é uma lente que capta aquilo que está próximo dela, em suas perspectivas corretas, contudo, deforma tudo aquilo que está longe, gerando uma falsa circunferência.

A circunferência captada pela fisheye é artificial, tão falsa que, ao compararmos os cálculos apresentados pela teoria da esfericidade da Terra, com as imagens filmadas com a fisheye, a diferença é tão gritante, mostra-se tão abissal, que, as medidas comparadas não se coadunam, não batem a medida da teoria com a medida captada com a câmera, e essas comparações não deixam dúvidas em relação à falsa esfericidade. O raio médio da Terra segundo a teoria, é cerca de 6.370.000m.

Os globalistas, os professorezinhos e os crentes na Terra esférica, não entendem absolutamente nada sobre como funciona uma lente fisheye, ela não distorce o que está próximo da lente, ela distorce o que está afastado da lente..


Calculem as medidas da teoria, com as medidas apresentadas nos vídeos.


Calculem matemáticos, calculem.

As pessoas ficam prestando tanta atenção na linda imagem da falsa curvatura, ficam tão maravilhadas com ela, que não percebem o fato de que a Terra, nas imagens iniciais, não se move, a Terra não gira, a Terra está imóvel, e você vê isso, ao longo do início do vídeo que você assistiu, se não prestou atenção, assista de novo.

Logo no começo do vídeo, aparece uma imagem do paraquedista dentro da capsula, em frente à porta aberta e de costas para a câmera.

Essa imagem foi feita com uma câmera normal, com uma objetiva normal, e nela, você não vê nenhuma curvatura no horizonte fora da capsula aparecendo na porta por onde o paraquedista vai saltar.

Depois que ele salta, percebemos que a Terra não gira, quando mudam a imagem do paraquedista para as imagens das pessoas que estão o assistindo, fazem uma fusão dessas imagens das pessoas com uma imagem da Terra girando, uma animação, uma imagem falsa, porcamente produzida,  pois, estranhamente, as nuvens estão congeladas e giram juntamente com a falsa imagem da Terra esférica girante, são imagens falsas e elas são repetidas em outros filmes de apresentação de satélites, astronaves e similares. Compare-as, você vê sempre as mesmas nuvens paradas em movimento com a Terra, são sempre as mesmas imagens animadas.


Me engana, criaturas, vocês podem tentar, mas, só tentar.


Vocês podem auto-enganarem-se e enganar apenas os trouxas. 

Então, se a Terra é imóvel, a Terra não é uma esfera, para quê usarmos cálculos matemáticos para tentarmos provar uma coisa inexistente chamada gravidade?

Gravidade não existe, só existe na cabeça dos doutrinados e doutrinadores bêbados pela falsa ciência, pela pseudociência.

Gastam-se toneladas de papel, milhares de aulas, milhares de ilustrações como se fossem fotos reais e imagens em movimento criadas por programas de renderização, não passam de animações, não são imagens reais filmadas, são apenas imagens criadas através de programas de computador baseadas em softwares de animação 3D, baseadas em ilustrações criativas.

E me chamam de religioso?

Tirem as travas de seus próprios olhos, mestres macaquinhos e alunos chimpanzésinhos.

A Terra é plana e podemos confirmar através de experimentos in loco, através da verdadeira Ciência experimentalista.

Vocês doutrinados e doutrinadores, não apresentam evidências, apresentam apenas calhamaços de cálculos matemáticos, apresentam apenas calhamaços de vídeos, ilustrações, animações computadorizadas e fotos forjadas e trabalhadas, não são reais evidências, são lixo teológico das pseudociências.

Isso não é Ciência, é pseudociência, não apresenta experimentos e evidências comprovadas, testáveis e reproduzíveis, apresenta apenas achismos filosóficos ou evidências fraudadas e forjadas que não podem ser reproduzidas.

A pseudociência não cria nada, apenas escrevem, calculam, escrevem, calculam, ad infinito, não existem cientistas da pseudociência que criaram e criam algo usável.

Somente os verdadeiros cientistas criam, descobrem, inventam, experimentam, para o bem da humanidade.

Os pseudocientistas só criam textos e mais textos sem fundamentos, cálculos sem bases comprováveis e roubam as ideias dos verdadeiros cientistas e inventores, e vendem essas ideias como se fossem deles próprios.

E existem aqueles cientistas que, além de nada criar, por incompetência criativa, tornam-se professores, para espalhar e doutrinar os alunos com as pseudociências, essa é a sua única competência, a doutrinação.

É a velha história: “Se você não tem competência para criar e trabalhar na área, torne-se um professor”...

E ao ler isso, o professorzinho pateta ou seus amiguinhos e alunosinhos, vão apresentar mais e mais cálculos, e mais fotos forjadas, mais vídeos de supostos astronautas no espaço, e mais e mais ilustrações que eles acreditam serem elas, fotos reais, para tentar “provar” que satélites existem, que naves espaciais existem e que foram além da órbita terrestre, que sondas espaciais existem, que telescópios em órbita da Terra existem, que fotos das superfícies da Lua, de Marte, são fotos autênticas, que civilizações extraterrestres existem, que evolução existe, que gravidade existe, que o homem foi até a Lua, etc, etc, etc.

Se liguem, vocês é que são os verdadeiros religiosos e doutrinadores, que acreditam piamente em falsas evidências.
Vão orar usando os textos sagrados de suas pseudociências, macaquinhos.

Vão orar para o santo copérnico, para o santo galileu, para o santo lemaître, para o santo einstein, para o santo darwin, para o santo newton, para o santo Nietsche, para o santo freud, ou, para qualquer um das centenas de santos das pseudociências, escolham à vontade, macaquinhos.

Assistam esses vídeos com as medidas da falsa esfericidade captada com uma fisheye comparando-a com a simulação baseada na suposta esfericidade.:











E agora, uma musiquinha em homenagem a todos os fãs das pseudociências: os professorezinhos e estudantezinhos, digam amém:

   
Tentem me pegar! Eu estou firmado e apoiado na verdadeira Ciência, na Ciência Experimental.

Vocês estão apoiados em castelos de cartas criados pelas pseudociências.

Vão encarar, humanos que acreditam que evoluíram dos primatas?

Vão encarar, vocês que são humanos, mas regrediram mentalmente aos cérebros que lembram chipanzés e macaquinhos?

.
.
.

Bom, pessoal, por enquanto é só.

Nos próximos textos vindouros, abordarei sobre algumas dúvidas que as pessoas têm e argumentam sobre a Terra plana.

Até lá, tenham todos um ótimo início de ano e um feliz 2017.









sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A verdade é a verdade, até o fim dos tempos.

A verdade é a verdade, até o fim dos tempos.

Texto criado por: Roberto das Neves

Então, você acredita que a transmissão de dados da sua internet e do seu telefone, são transmitidos e retransmitidos por satélites?



Não existem satélites.

O ângulo das antenas que supostamente captam as ondas que viriam dos satélites, são posicionadas em 45 graus, 45 graus não atingem o suposto espaço, atingem apenas as torres de retransmissão existentes na Terra. Se na área não existir uma torre de retransmissão, sua mensagem não será transmitida ou recebida.

A origem da ideia do satélite, surgiu através de um escritor de ficção científica, o arthur c. clark, em um dos seus livros.
Satélites são apenas uma ideia literária criativa para dar continuidade a um texto de fantasia científica.

Satélites não existem, o que existem são balões com gases mais leves do que o ar, que atingem a área mais alta da baixa atmosfera.

Sobre os tais satélites vistos, muitos afirmam que já avistaram as luzes piscantes  dos tais satélites à noite, mas, um grupo de trabalhadores achou o satélite da google que caiu no Brasil. 

Vejam as imagens do tal satélite:

Satélites, não passam de balões com aparelhos de rádio frequência, asas para captar a energia do sol para alimentar com eletricidade os equipamentos neles instalados, são montados com aparelhos de triangulação, aparelhos fotográficos e câmeras filmadoras, e esses aparelhos nunca foram enviados para o espaço, sempre ficaram na órbita baixa da Terra.

Os dados são transmitidos via cabos submarinos, e ah, seu celular precisa de torres de transmissão fincadas na Terra, não são enviadas ao espaço por supostos satélites e retransmitidos para a Terra.

Vejam como os dados são realmente transmitidos e retransmitidos pelos supostos satélites, eles não são transmitidos por satélites, são transmitidos por cabos submarinos:


Não acreditem nas supostas fotografias postadas pela nasa sobre as imagens mostrando satélites, estrelas, planetas, constelações, supernovas, buracos negros, a Terra, a Lua, meteoros, cometas, e “otras cositas mas”.

São todas criadas em adobe Illustrator, In design, Photoshop, programas de renderização gráfica e muita criatividade artística, não são fotos reais, são apenas ilustrações, pesquise, analise, não são fotografias!


Acordem!





quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Mudando radicalmente minha posição sobre ciência e sobre agnosticismo.


Autor: Roberto das Neves


Well galera. Muitos me conhecem por causa dos meus textos publicados inicialmente no antigo e falecido Fórum: religião é veneno.

Participei também de muitos outros fóruns de apoio a ciência.
Foram mais de 14 anos de combate, sempre apoiando o agnosticismo, a evolução darwinista, a ciência, a matemática e contra as religiões.

Criei muitos amigos e muitos inimigos ao longo dos anos.

A minha posição com relação ao agnosticismo, sempre foi baseada na lógica de que existem dois tipos de agnósticos.:

O primeiro tipo é aquele que não sabia se existiria um criador ou não.
Por isso, viveria sem se preocupar com essas opções, vivendo uma vida baseada em uma moral secular.

E existe o segundo tipo de agnóstico, ele não sabia se existiria um criador ou não, mas buscava evidências para tentar validar uma opção que apoiaria ou não, a sua existência.

Eu sempre fui do segundo tipo de agnóstico.

Buscava evidências e publicava, doa a quem doer.

O que eu não sabia, é que, no processo da busca, esta busca gerou dor em mim próprio.

Cada vez que eu publicava textos agnósticos e científicos para comprometer as religiões, eu encontrava religiosos que apoiavam seus dogmas sem apoio nenhum da verdadeira ciência.

Era muito fácil compromete-los, uma vez que seus argumentos eram frágeis e risíveis.

Acabei por abandonar esses fóruns, porque, tanto os ateístas, os agnósticos, os “cientistas” e os religiosos, sempre publicavam mais do mesmo, os fóruns não avançavam, sempre se repetiam nos seus argumentos, tanto os não religiosos, quanto os religiosos.

Acabei percebendo que aqueles que publicavam textos contra a religião, apresentavam mantras criados há mais de 2500 anos, sem mudanças, sem novos argumentos, afinal, os religiosos também continuavam a citar os mesmos argumentos de defesa.

E por outro lado, quando ateístas publicavam novos artigos “científicos”, percebi que os argumentos usados por eles, se baseavam em outros mantras, dessa vez, mantras filosóficos, que eram combatidos por outros mantras filosóficos teístas. Ambos eram mantras velhos e carcomidos pelas traças, sem base na lógica, na razão e no experimentalismo científico, que estão baseadas na verdadeira Ciência.

Percebi que esses debates eram apenas um eterno jogo de xadrez cujo resultado nunca chegaria ao fim.

Comecei a buscar novas e saudáveis ideias em outras áreas da Ciência, a verdadeira Ciência.

E descobri que todos os argumentos a favor e contra usados nestes fóruns antigos, os seus autores e eu mesmo, não nos perguntávamos se estávamos certos. Apenas ficávamos nos congratulando e rindo das postagens dos religiosos e apoiando aqueles que publicavam artigos “científicos”, que na verdade, não eram científicos, eram pseudocientíficos.

Comecei a perceber que todas as evidências do darwinismo não eram evidências de uma suposta “evolução”, eram apenas evidências de adaptação de várias espécies, nunca encontrei evidências de real evolução, ou seja, nunca achei evidências que comprovassem que uma espécie se transformou em uma nova espécie. 

O darwin em seu livro, garantia que sua teoria era válida, mas, nunca apresentou evidências que comprovassem suas teorias sobre evolução, ele apresentava apenas evidências sobre adaptação, ora, adaptações nunca foram provas de uma suposta evolução, sobre uma espécie se transformar em outra espécie. Nenhum “cientista” evolucionista, conseguiu comprova-las, e quando apresentavam as “evidências” comprobatórias, elas eram totalmente forjadas, nenhuma delas eram reais, eram somente erros de interpretação dos achados ou pura fraude.

Adaptações, são apenas evidências de que uma espécie se adéqua ao meio em que vive, uma espécie apenas se adapta ao meio, não se transforma em uma nova espécie.

O homem nunca evoluiu dos primatas, o homem é um mamífero como centenas de outros mamíferos existentes ou extintos, e todos eles não se transformaram ou se transformarão em outras espécies de mamíferos, e não vieram e não se transformarão em outras espécies não mamíferas.

O darwinismo é um erro científico, é pura pseudociência que não se sustenta na verdade, não se sustenta na verdadeira Ciência, se sustenta apenas em puro achismo, fraudes e mentiras.

Comecei a perceber que o que eu acreditava ser ciência, nunca foi, era apenas pseudociência.   
      
Começarei a reescrever muitos de meus artigos publicados neste Blog, eliminarei alguns que estavam baseados em pseudociência, criarei outros, e manterei outros, mas, o foco básico, será mudado definitivamente e radicalmente, este é um Blog para divulgar a ciência, mas, a boa Ciência, a verdadeira Ciência e não na pseudociência.

Alguns artigos onde eu denunciava a pseudociência serão mantidos e ampliados, e também continuarei a publicar artigos sobre arqueologia, Epistemologia, Filosofia e política.

Serei apedrejado, mas, isso faz parte, já tenho muita experiência em combates de posicionamento, apresentação de evidências, contraprovas, raciocínio lógico e razão.
Sejam bem-vindos ao mundo da realidade!

E para encerrar:

Ei, psiu, a Terra é plana.

 A TERRA é plana, ela não se move, e não se rotaciona em torno de seu próprio eixo imaginário, aceita a verdade, que doerá menos agora, se você não aceitar logo, doerá muito mais no futuro, pois, as suas verdades "científicas" pelas quais você foi doutrinado, estarão te estapeando com mais intensidade, a escolha é sua.
Não existe Gravidade, o que existe é Densidade, um objeto se mantem no piso da Terra graças à sua densidade, seu peso, tudo o que for mais leve que o ar, flutua, não é atraído por uma suposta gravidade, os objetos podem ser lançados fora no piso, mas, devido ao seu peso, sua densidade, ele tenderá a retornar para o piso.
Pássaros e aviões, podem se manter no ar graças ao controle do deslocamento do ar através de suas asas, graças à aerodinâmica. A lei gravitacional de newton é uma fraude, não se sustenta ao ser analisada pela verdadeira Ciência.

Não, a Terra não é uma esfera, a Terra é plana.

Assista aos  vídeos linkados no final deste texto e descubra como você é enganado com as falsas imagens sobre a Terra, sobre a Lua, sobre os planetas, sobre as estrelas, sobre as galáxias, sobre as explosões de estrelas, sobre os sistemas estelares, sobre os satélites, sobre os telescópios em órbita da Terra que estariam vendo as imagens do universo. São todas fraudes, são apenas imagens criativas, não são reais, não são fotos, são apenas pinturas e imagens criadas e trabalhadas com computador.

Asteroides e cometas não existem. Você já viu um asteroide ou um cometa? O que existem são as estrelas cadentes, e elas na verdade, não caem, elas apenas trafegam pelo céu, dia e noite, não caem na Terra, elas apenas trafegam pelo céu, e não são matéria, são apenas luzes cadentes, e as chuvas de cometas, também são apenas luzes, não são materiais.

Então, você acredita que a transmissão de dados da sua internet, da sua televisão e do seu telefone, são transmitidos por satélites?
Não existem satélites.

Veja alguns vídeos sobre o assunto, os dados são transmitidos via cabos submarinos, e ah, seu celular precisa de torres de transmissão fincadas na Terra, não são enviadas ao espaço por supostos satélites e retransmitidos para a Terra.

Acorda!






segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O que é um infiel para o muçulmano?


O que é um infiel para o muçulmano?




Mensagem escrita por um advogado na França. (Gilbert Collard):

Como demonstram as linhas que se seguem, fui obrigado a tomar consciência da extrema dificuldade em definir o que é um infiel.

Escolher entre Allah ou o Cristo, até porque, o Islamismo é de longe, a religião que mais cresce e mais depressa, no nosso país (França).

No mês passado, eu participava no estágio anual de atualização, necessária à renovação da minha habilitação de segurança nas prisões.

Havia nesse curso, uma apresentação feita por quatro intervenientes, representando respectivamente: as religiões Católica, Protestante, Judaica e Muçulmana, cada um deles explicando os fundamentos das suas doutrinas respectivas.

Foi com um grande interesse que esperei a exposição do Imam (em árabe: امام, “aquele que guia” ou, “aquele que está adiante” é o pregador no culto islâmico e também designa os principais líderes religiosos do Islamismo que sucederam ao profeta Maomé).

A apresentação deste ultimo, foi “notável”, acompanhada por uma projeção de vídeo.

Terminadas as intervenções, chegou-se o tempo das perguntas e respostas, e, quando chegou a minha vez, perguntei ao muçulmano:

Agradeço que me corrija se eu estiver enganado, mas, creio ter compreendido que a maioria dos Imams e autoridades religiosas muçulmanas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que, matando um infiel (o que é uma obrigação feita a todos os muçulmanos), estes, teriam assegurado o seu lugar no Paraíso”.

Neste caso, poderia dar-me a definição do que é um infiel?”

Sem absolutamente nada objetar sobre a minha interpretação e sem a menor hesitação, o Imam respondeu: “um não muçulmano”.

Eu respondi: “Então, permita de me assegurar que compreendi bem:”.
O conjunto de adoradores de Allah devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencente à vossa religião, a fim de ganhar o seu lugar no Paraíso, não é verdade?”

A cara do imam, que até agora, tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade, transformou-se subitamente na de “um puto”, apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!

É exato, respondeu o imam, num murmúrio.

Eu retorqui: “Então, eu tenho bastante dificuldade em imaginar o Papa dizendo a todos os católicos para massacrar todos os muçulmanos, ou, o Pastor Stanley dizendo o mesmo, para garantir a todos os protestantes um lugar no Paraíso.”

O Imam ficou sem voz!

Continuei: “Tenho igualmente dificuldades em me considerar vosso amigo, pois, que, o senhor mesmo e todos os vossos confrades, incitam os vossos fiéis, a cortarem-me a garganta!”.

Somente mais outra questão: “O senhor escolheria seguir Allah, que vos ordena matar-me, a fim de obter o Paraíso, ou o Cristo, que me incita a amar-vos, a fim de que, eu aceda também ao Paraíso, porque Ele quer, pelo mesmo motivo, que eu esteja na Vossa companhia?”.

Poder-se-ia ouvir uma mosca voar, enquanto o Imam continuava silencioso.
Será inútil tornar patente, que os organizadores e promotores do Seminário de Formação, não apreciaram particularmente esta minha maneira de tratar o Ministro do culto Islâmico e de expor algumas verdades a propósito dos dogmas desta religião.

No decurso dos próximos trinta anos, haverá suficientes eleitores muçulmanos no nosso país para instalar um governo de sua escolha, com a aplicação da “Sharia” como lei.

Parece-me, que todos os cidadãos deste país deveriam poder tomar conhecimento destas linhas, mas, como o sistema de justiça e dos “media” neoliberais, combinados à moda doentia do “politicamente correto”, não há forma nenhuma de que este texto seja publicado em órgãos de comunicação oficiais.

É por isto, que eu vos peço para enviar este texto a todos os contatos via Internet.

Gilbert Collard



Well, após a divulgação deste texto do advogado Gilbert Collard, eu vou agora, discorrer a minha análise sobre islamismo, seus líderes e seus seguidores:

Antes que vocês ataquem meu texto, é preciso que vocês leiam e analisem dois livros: O Corão e a Sharia.

O corão é o livro sagrado dos muçulmanos, e a Sharia é o compêndio contendo todas as leis muçulmanas baseadas no corão, ou seja, são as leis corânicas.

A sharia especifica que o fiel poderá entrar diretamente no paraíso islâmico após a sua morte, se matar um não fiel. Ponto.

Ao matar um não fiel, todos os pecados perpetrados pelo fiel durante toda a sua vida, serão automaticamente perdoados e assim, ingressará no paraíso islâmico, sem precisar passar pelos problemas e julgamentos impostos pelo suposto alláh, pelos quais, passaria um fiel que não matou um infiel.

E ao fazer isso, ele, o fiel que matou um infiel, terá disposto ao seu bel prazer, após sua morte, o perdão total e algumas regalias nesse paraíso islâmico, perdão e regalias que são difíceis aos fiéis que não mataram um infiel.

Então, onde está o terrorismo nessa religião? Calma, vou explicar e indicar onde está o terrorismo e quem são os verdadeiros terroristas.

Para aquele que julgamos ser um terrorista, não passa pela cabeça desse muçulmano, ser um terrorista. Ele está apenas preocupado em ir para o céu, sem precisar ter que passar pelas escalas obrigatórias impostas pelo suposto allah.

Ele não está preocupado com o imperialismo, ou, com os conceitos de terrorismo, ele não está preocupado com capitalismo, socialismo ou comunismo, ele está preocupado apenas e tão somente, em obter vantagens no suposto paraíso islâmico e entrar nele rapidamente, sem escalas e sem o julgamento do suposto allah.

O verdadeiro terrorismo está nas mãos de seus líderes religiosos, estes sim, são os verdadeiros terroristas, que doutrinam os seus fiéis, ao afirmar-lhes que: “Quanto mais infiéis eles matarem, mais vantagens eles terão no paraíso islâmico”.

Então, os líderes religiosos muçulmanos convencem um fiel, que ele pode praticar o suicídio, desde que, este suicídio cause a morte de um grande número de infiéis, e esses líderes religiosos, afirmam ao fiel, que ele entrará automaticamente no paraíso islâmico, com tantas mais regalias, quanto mais infiéis ele matar no processo do suicídio

O islamismo é uma religião que não dá margens a interpretações, nela, o terrorismo pode se instalar sem problemas afinal a religião islâmica é em si, terrorista.

E por isso, o islamismo é uma religião fraca, cheia de falhas, que, com essas falhas, foi moldada ao bel-prazer de seus lunáticos fundadores.

E pra terminar. Esses líderes religiosos islâmicos, não cometem suicídio, convencem outros a cometerem suicídio em nome do deus deles. São covardes.

Alguns irão rebater este texto, afirmando que, por exemplo, o catolicismo também usou as mesmas armas.

A diferença é que, o catolicismo, comandado pelos papas, dava ao fieis, o indulto de livre passagem para o paraíso, para aqueles que morressem nas cruzadas defendendo o catolicismo.

Ou seja, pelo catolicismo, bastava apenas morrer em batalha nas cruzadas, não precisavam matar ninguém para ir para o paraíso sem escalas, bastava morrer numa cruzada.

Isso me lembra dos vikings, que só poderiam adentrar o valhalla, se morressem em batalha, empunhando uma espada. 

Por esse motivo, existiam mulheres guerreiras vikings em grandes quantidades, elas também ansiavam em entrar para o paraíso viking, afinal, não importava para odin, se você era homem ou mulher, o importante, era a bravura demonstrada na batalha em si.

Gilgha
.
.

.