terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A soma das genialidades e a origem delas.

A soma das genialidades e a origem delas.



Estes vídeos abaixo, mostram apenas um pequeno exemplo disto:

A genialidade do autor da obra musical.

A genialidade do inventor do instrumento Electone que agrega o som de todos os instrumentos.

A genialidade de uma das várias musicistas que dominam o instrumento.

E claro, todas as genialidades somadas de pessoas que fizeram com que este vídeo pudesse ser produzido e chegasse até você.

A soma de todas essas genialidades vem de uma única origem: o Criador AHAYAH, o Eterno AHAYAH.

E tem gente que ainda acredita em acaso...










Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes AHAYA, que não muda como sombras inconstantes. 
Tiago 1:17





quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Você tem dúvidas sobre a Terra plana?

Autor: Roberto das Neves

Você tem dúvidas sobre a Terra plana?




Algumas pessoas não acreditam que a Terra é plana e apontam dúvidas sobre ela, como por exemplo:

“Mas como dizem que a terra é plana e estacionária, como explicar os ventos, o movimento dos mares, as correntes marítimas “e essas coisas não dão para negar. ” ”

Realmente não dão. Não dão para negar, e não é preciso negar, afinal, basta apenas, explica-las através da verdadeira Ciência, e explicar também, muitas outras questões que a falsa ciência não explica ou explica porcamente, a falsa ciência é apenas religião travestida de Ciência.

A verdadeira Ciência não cria hipóteses ou teorias que não estejam baseadas em evidências empíricas, a verdadeira Ciência estuda, analisa os fatos e conclui o resultado gerado pelas evidências apresentadas, testadas, repetidas e comprovadas.

A verdadeira Ciência é a ferramenta usada para criar novos projetos, novas invenções, que tragam o aumento do nosso desenvolvimento em todas as áreas humanas.

A verdadeira Ciência é baseada em fatos empíricos, na análise desses fatos, trabalha com evidências que podem ser repetidas gerando os mesmos resultados e não em hipóteses e teorias mirabolantes não comprováveis e que não podem ser repetidas.





Comecemos pelo vento.

O vento é movimento, e é causado pela somatória de muitos eventos, por exemplo: pelo aquecimento da atmosfera gerada pelo sol: o ar mais quente sobe e troca de lugar com o ar mais frio que desce, que é gerado pela Lua e pelas geleiras, esse movimento de troca de temperaturas, é apenas um dos inúmeros fatores que causam os ventos, mas, eles existem em conjunto, em somatória, com muitas outras causas, que geram o conjunto dos movimentos, que geram os ventos.

Por exemplo, a condensação da água, formando nuvens através da evaporação da água, gerando gotículas microscópicas de vapor pelo calor do sol, somadas pela ação dos vulcões, pelo derretimento dos glaciares, pelos terremotos, pelas tempestades, pelas cachoeiras, pelos tornados e furacões e muitas outras causas, a somatória desses movimentos geram os ventos.

E o que gera o frio? O frio é gerado pela luz fria emitida pela Lua, juntamente com os glaciares.

Nos desertos durante o dia, a areia absorve e reflete a luz do sol, e reflete também, o ar quente absorvido. O ar ao ser aquecido, se movimenta para cima.

Já, na noite, as areias absorvem e refletem a luz fria gerada pela Lua e reflete também esse ar frio.

Você pode fazer um experimento para verificar a temperatura fria gerada pela Lua.

Pegue dois termômetros digitais, e pegue dois artefatos iguais e coloque-os em locais diferentes. Um deles, você colocará fora da sua casa, para ser iluminado pela Lua. O outro, você poderá colocá-lo dentro de sua garagem aberta em um local onde a luz da Lua não atinja o objeto, não ilumine o objeto.

Coloque cada um dos termômetros, medindo as temperaturas dos objetos separados e observe as mudanças de temperatura. O objeto iluminado pela lua, estará mais frio do que o objeto fora da luz da lua.


 
Essa troca de ar frio e ar quente, somado a outros fatores, geram o movimento do ar, os ventos e os climas, é preciso lembrar que o ar frio é mais pesado que o ar quente, então, o ar quente vai para cima, e o ar frio vai para baixo. É por isso que balões quando são enchidos com ar quente, sobem. Tudo é movimento.

A Terra plana é um sistema fechado e extremamente equilibrado, de modo que, até mesmo o bater de asas dos pássaros e dos insetos, o deslocamento dos seres vivos pela superfície da Terra, o deslocamento de peixes e mamíferos nos mares e rios, o movimento dos rios e mares, contribuem, se somam, para a formação dos ventos e dos climas.

Se a Terra fosse um sistema aberto como prega a falsa ciência, nada disso se somaria para formar os ventos em nossa atmosfera, aliás, nem mesmo atmosfera teríamos em um sistema aberto, quanto mais, teríamos vida na Terra.


Outra pergunta que as pessoas fazem, seria: “Como explicar os eclipses lunares, se o sol e a lua são muito menores do que as pseudociências afirmam, e ficam dentro do tal domo acima da Terra como os terraplanistas dizem? ”

E mais uma vez, a verdadeira Ciência poderá responder:

As fases da Lua são criadas pela radiação ultravioleta do Sol. Quanto mais perto do Sol a Lua está, mais carregada de energia luminosa ela se torna.

Quando ela está próxima dos raios do Sol, ela fica escura, ela absorve a energia UV do sol, gerando uma concentração máxima UV, ela fica completamente escura por isso, quando ela não está mais recebendo os raios UV, não está mais carregando energia, ela fica clara novamente, ou seja, ela começa a irradiar luz fria e descarregar a sua energia luminosa acumulada. 

Essa descarga é visível e a chamados de eclipses, os eclipses nada mais são do que a descarga da energia acumulada pela lua, essa descarga se inicia pelo topo da Lua e começa a descer até atingir a base da Lua, que é o descarregamento total.

A Lua tem quatro fatores visíveis: A carga da energia, ou, lua crescente, o ápice da carga de energia, ou, lua cheia, a descarga da energia, ou, lua minguante, e a recarga da energia, ou, lua nova.
Radiação UV é a mesma que deixa a nossa pele escura durante o verão, porque o Sol está mais próximo.

Mesmo no inverno quando há Sol, ninguém fica com queimaduras geradas por ele, porque o sol está perto o suficiente para iluminar, mas a concentração de radiação UV é fraca demais para queimar a pele.

O eclipse lunar é a mesma coisa, apenas mais rápido por causa da distância entre o Sol e a Lua em suas rotas acima do plano da Terra.
Eclipses lunares não são sombras da Terra projetadas na Lua, se fosse assim, como explicar os dias em que podemos ver o sol de um lado e a Lua eclipsando no outro lado? 

É, a falsa ciência não explica, e quando tenta explicar, se esconde atrás de cálculos matemáticos que não explicam nada. Calhamaços de papel que podem ser usados como material reciclável, ou, como papel higiênico não reciclável, esses cálculos só servem para isso.

Outro detalhe muito importante, os eclipses começam sempre na parte de cima da Lua e nunca na parte de baixo da lua como a falsa ciência afirma.

E é muito fácil confirmar esse erro, quando o eclipse começar, consulte em qual posição o calendário indica que o eclipse começará, depois, verifique in loco, olhando para a Lua e comprove que o eclipse começará na parte de cima da Lua e não na parte de baixo como mostra os desenhos.

É a recarga da radiação ultravioleta que deixa a lua escura. E ela fica clara, fica cheia, ao começar a descarregar a sua energia acumulada, começara a irradiar sua luz fria.

Conforme ela vai esgotando a sua energia, ela começará a escurecer novamente, causando os eclipses, e ao final da descarga, começará então, a acumular novamente energia, começará a recarregar energia para a próxima irradiação.

Esse é um processo contínuo de absorção e irradiação de energias pela lua, um processo de carga e descarga de energia.

Os crentes na Terra esferoidal dizem que é possível prever quando eclipses solares irão ocorrer, usando telescópios que observam as ondas infravermelhas do Sol, como o Vatican Advanced Technology Telescope e o Large Binocular Telescope.

Contudo, a 3.000 anos atrás, os povos sumérios, os chineses, os gregos, os hindus, os astecas e muitos outros, já previam os eclipses solares e lunares, e para isso criavam tabelas de repetição matemática, de acordo com os meses e anos vindouros, e sempre acertavam suas “previsões”, a repetição matemática por tabelas é uma ideia muito antiga, secular, e funciona, foi criada por quase todos os povos antigos, sem a necessidade tecnológica de que dispomos hoje.

Como esses eventos existem, supõe-se necessário usar esses equipamentos para prever a radiação de ondas infravermelhas do Sol, que causam os efeitos dos eclipses fora dos padrões estabelecidos pelas fases da Lua. Nesse caso, quando estão mais distantes um do outro, mesmo assim, os povos antigos os calculavam usando tabelas criadas anteriormente, sem precisar desses equipamentos para fazer o que hoje fazemos usando telescópios e cálculos em cima de cálculos.

Durante o eclipse solar, as rotas do Sol e da Lua se cruzam e a Lua passa em frente do Sol, fazendo a radiação UV escurecer a Lua mais rapidamente, fazendo a Lua recarregar mais depressa.


Por que o céu é azul?

Você já se perguntou muitas vezes sobre isso, e os “cientistas e professores” lhe deram inúmeras explicações, todas elas conflitantes uma com as outras, mas, você aceitou todas essas explicações conflitantes sem titubear, afinal, os “professores e os mestres da ciência” não podem ser confrontados e questionados, não é mesmo?

Os “mestres e professores” falam muitas coisas, expõem muitas hipóteses e teorias “comprovadas”, só que, não. A grande maioria delas é totalmente disparatada umas das outras e não são comprováveis pelo experimentalismo, pela verdadeira Ciência.

Contudo, em 1931/1932, um cientista de verdade, um experimentalista, um belga/suíço chamado: Auguste Piccard, que era físico, matemático, engenheiro, inventor e explorador, foi até a parte media da atmosfera, a chamada estratosfera, alcançando na época, +- 17.001 metros de altitude, usando uma capsula, uma cabine esférica metálica e pressurizada, presa a um balão de grandes proporções, cheio de ar quente.



Lá dentro, ele e seu assistente, fizeram muitos experimentos e capturaram um gás que se encontra lá em cima e que existe em abundância, um gás de coloração azul intensa, um dos gases existentes na estratosfera.

O nome do gás?

É o gás Ozônio, é graças a esse gás e a sua enorme quantidade existente na estratosfera, formando uma camada com mais de 50 km de espessura, e é caracterizada por apresentar pouco fluxo de movimento, que nos dá a cor do céu que vemos, a cor azul. É uma camada tão perene que podemos vê-la durante o dia e durante à noite, o sol não a influência, e a lua e as estrelas, também não.

O ozônio é um gás extremamente estável, é mais pesado do que o hidrogênio, que não tem cor e mais leve do que o oxigênio, que também não tem cor, formando assim, uma camada enorme e colorida de azul intenso entre os dois gases, e ele não se mistura com nenhum dos outros dois gases, formando assim, uma camada espessa e perene que nos protege dos raios ultravioleta.

Assistam estes vídeos esclarecedores:

                                         




Um adendo interessante sobre o céu:

Eu moro na cidade de São Paulo em uma das regiões mais altas da cidade, durante os dias e as noites, eu posso ver grande parte da cidade, e também, partes de algumas das cidades próximas dessa região, até onde a minha vista alcança e até onde a poluição permita.

Geralmente, eu vou dormir por volta das 2:30 da madrugada, e sempre dou uma geral na paisagem, no horizonte, vejo a Lua, vejo algumas estrelas possíveis de se ver, apesar das luzes da cidade bloquearem a possibilidade de ver a grande maioria das estrelas.

Percebo sempre, que vejo o céu completamente azul à noite, e ao passar do tempo, esse azul vai ficando mais intenso e escuro, mas, o azul permanece sempre azul, ele nunca fica negro, sempre fica com um belo azul, do azul claro, durante o dia, até a tarde, passando para azul médio, enquanto avança a madrugada.

Às vezes, quando repentinamente acordo entre 3:30 ou 4:00h, e olho para o céu, ele continua sempre azul.

O interessante é que você geralmente encontra pouquíssimas fotos ou filmagens contendo esses azuis noturnos médios até os profundos. Geralmente você encontra fotos e filmagens onde o céu está negro feito breu, pontilhado com algumas estrelas.

Será que as avançadas câmeras e telescópios não conseguem captar a realidade dos azuis que nossos olhos enxergam e captam naturalmente? É pena, pois, é uma visão grandiosa e magnífica, digna de ser registrada.

O problema é que esses equipamentos para poderem capturar esses tons azuis da noite, precisam, ao serem acionados, capturar as imagens em longos tempos (períodos) de exposição, por volta de 25 a 35 segundos de exposição por (chapa) foto. Você precisa ter uma excelente câmera, excelentes objetivas, filtros para objetivas, um tripé profissional pesado, um disparador, e muita, muita paciência para executar o trabalho.

Quando eu vejo as fotos da Lua, eu vejo fotos onde o fundo é totalmente preto. No entanto, quando eu vejo a Lua com meus próprios olhos, eu vejo a Lua sobre um fundo azul.

Isso pode ser explicado da seguinte forma: A Lua emite luz, uma luz fria, os equipamentos fotográficos, telescópios e filmadoras, tentam compensar a luz emitida pela Lua, e nesse processo de compensação e ajuste da luz emitida pela Lua, escurecem a imagem do fundo para fixar melhor o foco na imagem da Lua.

Os olhos humanos também fazem essa adaptação, ajuste e compensação, só que, de uma forma muito, muito, muito mais eficiente do que os equipamentos tecnológicos, tão eficiente que você vê a Lua, vê o fundo azul do céu e vê nuvens passeando no horizonte ou próximas à Lua, e até algumas estrelas normais e algumas estrelas vagabundas errantes (planetas).
 
Não acreditem nos pseudocientistas e pesquisadores “profissionais e especialistas” que falam que existe um buraco na camada de ozônio na atmosfera, que supostamente causaria a escapada do ozônio. É mentira.

O céu da Terra é Azul graças a existência do Ozônio em abundância (lembre-se, o ozônio é uma camada de gás com mais de 50 km de altura (espessura), e ela não escapa para fora da atmosfera, porque vivemos em um mundo com um sistema fechado e não em um mundo com um sistema aberto como alegam os “especialistas”.

E tem outra coisa que o pesquisador, o verdadeiro cientista, chamado Auguste Piccard, verificou e escreveu em seu artigo publicado na revista “Nature” sobre os seus experimentos usando em sua viagem o balão especial para alta atitude: “A Terra parece ser um disco plano com uma borda virada para cima. ”

A Borda é o muro de gelo em volta da Terra e que os “cientistas” chamam de polo sul. Não existe um polo sul, o que existe, é uma enorme barreira de gelo ao redor da Terra plana.    

Agora, sobre as marés:

Os “doutos” nos informam que as marés são causadas pela suposta gravidade, mas, na verdade, as marés são formadas pela condutividade elétrica, pelo campo magnético, pelo eletro magnetismo, que são geradas pela salinidade das águas do mar, com a proximidade do aquecimento gerado pelo Sol, isso não acontece com as águas dos rios, porque elas não têm sal, elas são doces, não geram condutividade e não sofrem a suposta gravidade.


"Crateras" na Lua.

Você já olhou as "crateras" na Lua?

Já reparou que elas são círculos perfeitos?

um meteoro caindo, jamais criaria esses círculos perfeitos, mesmo porque, meteoros não existem. 

Gravidade não existe.

Se as marés fossem causadas pela suposta gravidade, os rios e os lagos também teriam marés.

Você já viu um rio com marés? Não, não viu e nunca verá.

E quando você inquire algum “cientista ou um professor ou um especialista”, algum ‘‘douto’’ no assunto gravidade, eles desconversam e tentam mudar de assunto, ou, tentam te calar, afinal, a santa gravidade não pode ser questionada.

E alguns outros “doutos”, dirão que é por causa do baixo volume de água no rio que ele não forma maré, contudo, segundo a teoria da gravidade, você, que não tem tanto volume quanto um rio, está fixado na Terra, por causa dela, da suposta gravidade...

Sobre a borda do círculo da Terra, você pode ir vê-la?

A borda é formada por geleiras, um muro de gelo alto e espesso que se divide em degraus, só podemos ver o primeiro degrau, os outros, mais altos e mais afastados do primeiro degrau, estão a milhas de distância, mas, você está proibido de ir visita-las, sabe por quê?:


Não existe o polo sul, o chamado polo sul, a Antártida, é na verdade, o começo da geleira que está em volta dos continentes, em torno da Terra plana, impedindo que a água da Terra saia, esvazie para fora do sistema fechado.

E a gravidade ela realmente existe? Não! Ela não existe.

Não existe Gravidade, o que existe é a Densidade, um objeto se mantem no piso da Terra graças à sua densidade, seu peso, tudo o que for mais leve que o ar, flutua no ar ou boia na água, não é atraído por uma suposta gravidade, os objetos podem ser lançados fora no piso, mas, devido ao seu peso, sua densidade, ele tenderá a retornar para o piso.

Pássaros e aviões, podem se manter no ar graças ao controle do deslocamento do ar através de suas asas, graças à sua aerodinâmica. A lei gravitacional de newton é uma fraude, não se sustenta ao ser analisada pela verdadeira Ciência.

Os objetos não se atraem, as suposições de newton não podem ser comprovadas, as explicações matemáticas de einstein, não podem ser comprovadas, as fórmulas matemáticas criadas por eles, não podem ser experimentadas, uma fórmula matemática diz apenas aquilo que queremos que digam, mas, não dizem necessariamente a verdade, sem que as passemos pelas provas, por experimentos, por evidências comprobatórias e repetitivas.


Vamos zoar só um pouquinho com a cara dos globalóides.


A gravidade não existe, o que existe é a densidade, e ela acontece baseada nos pesos de cada objeto, é isso o que se vê neste vídeo, conforme o avião começa a mergulhar em alta velocidade, os objetos e as pessoas "flutuam", mas, na verdade, elas caem mais vagarosamente dentro do avião, pois, tudo o que está dentro do avião e que está solto, que não está preso, cai de acordo com seu próprio peso, logicamente, o avião tem muito mais peso do que todos os objetos e pessoas soltos dentro dele, é isso o que acontece nos aviões de Gravidade zero:






Sobre o pendulo de foucault, ele apresenta algumas supostas anomalias “gravitacionais”, contudo, se esse pêndulo fosse construído com materiais metálicos que não possuam propriedades magnéticas, ele não sofreria essas supostas anomalias “gravitacionais”. 

Tudo é questão de campos magnéticos dos materiais usados, não da suposta gravidade, a gravidade não existe.

E tem outra coisa muito importante: o pendulo de foulcault apresentada como sendo uma “prova”, é apenas uma elaboração hipotética, uma elaboração matemática baseada em uma ideia, aliás, essa ideia foi direcionada para tentar validar outra hipótese, e a experiência foi realizada uma única vez, na França, era suposto que esse experimento deveria ser repetido e realizado no Equador, nos Polos Norte e  Sul, para confirmar a hipótese, contudo, essas experiências não foram realizadas e testadas, elas não foram construídas, elas existem apenas no papel e em animações computadorizadas criadas neste século, cujos cálculos foram direcionados para gerar o suposto efeito nos Polos e no Equador.

No entanto, a verdade é que sem o conhecimento da maioria do público, constatou-se que o experimento base, é definitivamente uma experiência fracassada que não prova absolutamente nada.

Os experimentalistas da época, constataram que simples mudanças no tempo, como por exemplo, um dia de tempestade, ou, uma pessoa carregando um relógio próximo ao pêndulo, ou transportando um imã, ou uma barra de ferro, alteravam o curso do pendulo. Foi por isso que o foulcault abandonou a tentativa de realização dos outros três experimentos. Ele foi desmentido no ato da primeira tentativa. No entanto, continuou vendendo a sua farsa, e angariando gado seguidor que comprou as falsas evidências alegadas pelo farsante.

E o pior é que, enquanto nenhum matemático sério ou cientista experimentalista, acredita nessa bobagem, ela é continuamente ensinada nas escolas pelos “doutos” professorezinhos, que não ensinam, apenas doutrinam o gado.

E tem patetas ainda hoje que acreditam e juram de pés juntos, que tais “experimentos” foram realizados no Polo Norte, no Polo Sul e no Equador e supostamente confirmados. Então, aproveitem que os seus pés estão juntos, ajoelhem-se e orem para a tal santa gravidade...

É muito fácil elaborar uma hipótese para tentar “validar” outra hipótese, afinal, ambas não podem ser testadas, não podem ser experimentadas e repetidas, elas não valem nem mesmo o papel em que foram escritas e o tempo gasto para elaborá-las.


Não, a Terra não é uma esfera, a Terra é plana.

Se a Terra fosse uma esfera, veríamos a curvatura nas nuvens na praia, em nossa frente, ou em nossas costas, nuvens que estão altas e muito distantes e movendo-se, mas, o que vemos, são as nuvens se distanciando do nosso ponto de vista, sem curvatura nenhuma, apenas se distanciando de nós, ou, se aproximando de nós.

Se olharmos as nuvens na praia que estão à nossa direita, ou, à nossa esquerda, veremos elas se aproximarem ou se afastarem do nosso ponto visual, não as veremos se curvarem com a distância.

Assista aos vídeos linkados no final deste texto e descubra como você é enganado com as falsas imagens sobre a Terra, sobre a Lua, sobre os planetas, sobre as estrelas, sobre as galáxias, sobre as explosões de estrelas, sobre os sistemas estelares, sobre os satélites, sobre os supostos telescópios em órbita da Terra que estariam vendo as imagens do universo, sobre os cometas e meteoros. São todas fraudes, são apenas imagens criativas ou não criativas, não são reais, não são fotos, são apenas pinturas e imagens criadas e trabalhadas com computadores em programas CGI.

Asteroides e cometas não existem. Você já viu um asteroide ou um cometa caído no chão? O que existem são as estrelas cadentes, e elas na verdade, não caem, elas apenas trafegam pelo céu, dia e noite, não caem na Terra, e não são matéria, são apenas luzes cadentes, são energia luminosa, e as chuvas de cometas, também são apenas luzes, não são materiais, não caem na Terra, estão apenas circulando o céu da Terra, se elas caíssem elas não seriam visíveis novamente em outros dias, meses e anos.

Quando eles informam que encontraram algum meteoro caído na Terra, e os expõe em museus, eles acham apenas, pedras lançadas por vulcões, não caíram do espaço, foram lançadas por vulcões, pedras de vários tamanhos e materiais, não são extraterrestres, são materiais terrenos.

E, para deixar você pensando e começar a pesquisar e estudar: O Sol e a Lua, não estão distantes de nós e o sol não é tão grande, sol e lua são tão pequenos e pertencem ao reino da Terra, eles estão dentro do domo.

Think human people, think...

E lembrem-se sempre: A Sociedade da Terra Plana é uma Oposição Controlada. Não está ligada aos verdadeiros cientistas experimentalistas ou aos verdadeiros Terraplanistas:


E para complementar, assistam também, esses vídeos aí abaixo; em português, ou, traduzidos, ou, legendados:

https://www.youtube.com/watch?v=xranj1dXV2c


Ah, sim, um desafio final aos matemáticos, aos projetistas e aos professores que são crentes na esfericidade da Terra: Me apresentem um único projeto aprovado e construído para uma Estrada de ferro, em qualquer parte do mundo, onde foi necessário incluir os cálculos para a esfericidade da Terra para o assentamento e colocação dos trilhos para essa estrada.

Até breve, pessoas humanas que realmente pensam e raciocinam, e que não são enganados e passíveis de continuarem se tornando gado de corte.


A VERDADE LIBERTA!!!



sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Existem duas ciências.

Texto criado por: Roberto das Neves

Existem duas ciências.




A falsa ciência, criada pelos homens dúbios, para tentar afastar a humanidade do entendimento, do conhecimento da verdadeira Ciência, a Ciência Experimentalista, através dos verdadeiros cientistas: os experimentalistas, os inventores, os projetistas, os profissionais da pesquisa em saúde, etc.

Os adeptos da falsa ciência, tentam mostrar que a humanidade não passa de um ínfimo grão de areia, dentro de um suposto universo infinito, que a Terra é apenas mais um insignificante planetinha, que o nosso sol é enorme, mas, é apenas mais um dos bilhões de estrelas, que supostamente, seriam centenas de vezes maiores que o sol.
Que a nossa Lua é apenas mais um, dos supostos satélites em volta dos supostos planetas que estariam em volta do sol, no suposto sistema estelar.
Que somos constantemente ameaçados por supostos cometas e meteoros, que nós humanos, somos apenas fruto do acaso, e que descendemos dos primatas, e que todas as espécies existentes na Terra se originaram de um suposto organismo inicial, e por aí afora.

Todas essas coisas, todas essas teorias, não se adequam à verdadeira Ciência, a Ciência experimentalista, não são prováveis, estão apenas firmadas em ideias filosóficas, não são teorias reprodutíveis e analisáveis.

Se apropriaram da verdadeira Ciência e desenvolveram falsas ciências, chamadas de: astronomia, datação geológica, filosofia, psiquiatria, psicanálise, física quântica, evolucionismo, matemática teórica, para tentar convencer que nós humanos, somos um nada, que supostamente somos fruto do acaso.

Durante muito tempo, eu fui doutrinado por essas falsas ciências, acreditava nas supostas evidências apresentadas por elas, confiava em seus cálculos matemáticos teóricos, confiava nas supostas fotos, ilustrações e “análises” da evolução, confiava nas “análises” das pedras sobre a suposta idade da Terra, confiava em supostas fotos tiradas do espaço, falsas fotos tiradas de planetas, falsas fotos de satélites, falsas fotos de naves, falsas fotos da Terra, falsas fotos do universo, de galáxias, de explosões de estrelas, todas elas falsas evidências, falsas fotos baseadas em ilustrações e fotos falsas sobre evolução.

Contudo, ao passar dos anos, eu comecei a desconfiar dessas supostas evidências, descobri que haviam muitas outras pessoas que também desconfiavam, descobri que muitos verdadeiros cientistas, experimentalistas e inventores, também duvidavam e eram perseguidos, e seus experimentos e invenções eram confiscados, roubados e entregues para falsos cientistas, que adulteravam os resultados desses experimentos para validar suas falsas hipóteses e teorias ou, para simplesmente lucrar em cima dos trabalhos dos verdadeiros cientistas, dos verdadeiros inventores, dos verdadeiros projetistas, dos verdadeiros experimentalistas.

Precisamos resgatar o conhecimento empírico, analisar o que vemos, que experimentamos e tirar conclusões reais, baseadas no experimentalismo científico, e não em conclusões teóricas direcionadas.

Quando não conseguiam roubar as ideias e os resultados experimentalistas, eles simplesmente adulteravam os resultados através da criação de novas teorias matemáticas “científicas”.

Descobri que as evidencias usadas para “validar” a evolução, eram todas falsas, ou, interpretações erradas e falaciosas dos achados fósseis.

Descobri que as fotos do espaço eram apenas criações de imagens, através de programas como por exemplo: Illustrator, Photoshop, Ata, After efects, Corel, CGIs, baseadas em ilustrações à mão muito criativas, mas, não passavam de ilustrações, não eram fotos reais, quando muito, eram apenas fotografias de ilustrações pintadas sobre como seria a Terra, fotomontagens, e truques fotográficos para simular fases da Terra e da Lua sobre as ilustrações.

Todas as imagens paradas ou em movimento de: planetas, estrelas, constelações, galáxias, sistemas estelares, explosões de estrelas, meteoros, cometas e muitas outras imagens, não passam de animações, não são imagens reais filmadas, são apenas imagens criadas através de programas de computador feitas em softwares de animação 3D baseadas em ilustrações criativas.

Descobri que as filmagens dos astronautas em naves, são apenas imagens filmadas em aviões de zeroG, ou, em estúdios com chroma key, trabalhadas com softwares para apagar os fios que sustentam os supostos astronautas e objetos que aparentemente pairavam no espaço sem gravidade, e esses supostos astronautas, alguns que estão com cabelos compridos, recebem um banho de laquê nos cabelos para parecerem que eles estão flutuando, aliás, muito laquê e nenhuma criatividade.

Alguns que acreditam que houve uma viagem a Lua, dizem o seguinte:

“Olha, se a ida do homem à lua fosse uma farsa, a União Soviética seria a primeira a querer desmascarar, pois durante a guerra fria EUA e União Soviética duelavam na corrida espacial. E Entre os vários feitos, a Rússia colocou o primeiro ser vivo em orbita através do Sputnik 2”.

Acontece o seguinte em relação aos EUA e URSS: A URSS foi a primeira a perceber que um suposto satélite lançado ao espaço, traria dividendos sobre a “grandiosidade” do sistema socialista.

Uma propaganda criada para divulgar a “eficiência do socialismo” que seria divulgada gratuitamente por e para todo o mundo.

Na época, os EUA foram pegos de calças abaixadas, não tinham como refutar os supostos lançamentos ao espaço e satélites e então, embarcaram na mentira para enganar toda a humanidade.

Criaram a nasa, para nos iludir através de supostos lançamentos de satélites, enquanto a URSS se aprimorava na criação de mais mentiras, informando que estavam lançando ao espaço animais e posteriormente, humanos.

Tanto a nasa, quanto a ex-urss, jamais acusaram uma à outra de fraudes nos lançamentos.

As duas participaram e participam das fraudes, não podem se acusar, pois as duas estão juntas no engano da humanidade.

Nenhuma delas, e nenhuma das novas nações que supostamente estão lançando foguetes ao espaço, jamais mostraram imagens dos lançamentos de foguetes até o fim. Não existem filmagens dos foguetes alcançando a órbita baixa ou a órbita alta.

Quando os foguetes começam a fazer uma curva, eles cortam as imagens e mudam para imagens da população assistindo, ou, para imagens dos operadores que supostamente estão monitorando o lançamento.

Não existe uma única gravação completa dos lançamentos.

Um teatro de mentiras se formou para nos enganar, potências governamentais antagônicas se apoiam para manter esse teatro, e até hoje somos iludidos por empresas governamentais de todas as vertentes ideológicas.

O acaso ou o nada, são causas ainda não especificadas:

http://gilghamesh.blogspot.com.br/2014/10/o-acaso-ou-o-nada-sao-uma-causa-ainda.html



Urgente: o castelo de cartas da nasa, se desfez, ruiu:






Cabe a você decidir, ou você continua a ser gado de corte, ou então, você pode conhecer, estudar e analisar as evidências da verdadeira Ciência, em busca da verdade e se libertar da escravidão.

Você será perseguido, vilipendiado, humilhado, calado, visto com olhares e comentários gozadores, por essa busca, por essa batalha?

Com toda certeza, mas, no final, você sairá vitorioso. E é isso o que importa.

Seja um ser humano, não seja gado de corte.


E agora, uma musiquinha em homenagem a todos os fãs das pseudociências: os professorezinhos e estudantezinhos, digam amém:







sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O professorzinho pateta que deu um tiro em seu próprio pezinho...


Texto criado por: Roberto das Neves.



A alguns dias, eu publiquei um texto chamado: “A verdade é a verdade até o fim dos tempos:

Publiquei no Facebook o link para esse texto em vários fóruns, sendo que, alguns deles, eram específicos, tratam de ciência, física, matemática, astronomia e alguns fóruns de universidades e faculdades.

Um professorzinho doutrinado pela falsa ciência, pela pseudociência, ficou indignado com o texto, e começou a atacar a minha pessoa e não o texto publicado, não atacou as ideias...

Além de me atacar, ele publicou um texto no site da faculdade onde ele leciona e pediu ajuda de outros professorzinhos doutrinados, além de publicar respostas de alunos que apoiavam a sua doutrina religiosa pseudocientífica.

Em um dos fóruns, ele apresentou tabelas de cálculos matemáticos para tentar provar que satélites existem.

Acontece que, cálculos matemáticos e fórmulas matemáticas dizem aquilo que queremos que digam, mas, não dizem necessariamente a verdade, somente experimentos científicos analisados e testados, tem esse poder...
Cálculos matemáticos sem evidências, sem análises e sem serem reprodutíveis, tem  a mesma validade que um horóscopo.

Me acusou de ser um “aloprado terra-chato” e entre outras coisas, ele escreveu: “Na verdade a resposta para tal tipo de alopração não é caso para Física mas para a Psiquiatria! :-) O terra-chatismo somente é possível com muito analfabetismo científico, forte dissociação cognitiva e alienação fundamentalista religiosa...”

Well, well, well, então, o professorzinho pateta me chamou de “alienado fundamentalista religioso”.

E como Pièce de résistance, como a cereja do bolo, o infeliz apresentou um vídeo para tentar provar a “esfericidade da Terra”, um vídeo de baixa resolução, então, procurei o mesmo vídeo, só que, com alta resolução.

O vídeo é este aqui:


link para o vídeo em maiores proporções:

Detalhe, o professorzinho e seus amiguinhos de cátedra, juntamente com seu aluninhos doutrinados, verdadeiros macaquinhos cegos que não enxergam um palmo à frente dos seus próprios narizes, por causa da doutrinação pseudocientífica, se rejubilaram e se congratularam depois de assistirem o vídeo...

Esses professorzinhos acreditam realmente que ensinam ciência, mas, ensinam somente pseudociências, são eles os verdadeiros religiosos fundamentalistas.


Eles acreditam na esfericidade da Terra, só que, essa esfericidade é um mito criado há mais de 2.600 anos atrás pelos gregos, e essa esfericidade jamais foi comprovada.
Assim, eles acreditam em um mito religioso, são eles os religiosos crentes, acreditam que a Terra é uma bola sem evidências comprobatórias, acreditam em mitologia grega.

Então, vamos apresentar as evidências contidas no vídeo, analisando-as por meio da verdadeira Ciência, a Ciência experimentalista e reprodutível.

Vamos apresentar os detalhes do vídeo que os "sapientes  experts", não viram ou então, fizeram de conta que não viram.

Começando pela curvatura apresentada no vídeo.

A curvatura é obtida com o uso de uma lente especial chamada fisheye (lente olho de peixe), é uma lente que capta aquilo que está próximo dela, em suas perspectivas corretas, contudo, deforma tudo aquilo que está longe, gerando uma falsa circunferência.

A circunferência captada pela fisheye é artificial, tão falsa que, ao compararmos os cálculos apresentados pela teoria da esfericidade da Terra, com as imagens filmadas com a fisheye, a diferença é tão gritante, mostra-se tão abissal, que, as medidas comparadas não se coadunam, não batem a medida da teoria com a medida captada com a câmera, e essas comparações não deixam dúvidas em relação à falsa esfericidade. O raio médio da Terra segundo a teoria, é cerca de 6.370.000m.

Os globalistas, os professorezinhos e os crentes na Terra esférica, não entendem absolutamente nada sobre como funciona uma lente fisheye, ela não distorce o que está próximo da lente, ela distorce o que está afastado da lente..


Calculem as medidas da teoria, com as medidas apresentadas nos vídeos.


Calculem matemáticos, calculem.

As pessoas ficam prestando tanta atenção na linda imagem da falsa curvatura, ficam tão maravilhadas com ela, que não percebem o fato de que a Terra, nas imagens iniciais, não se move, a Terra não gira, a Terra está imóvel, e você vê isso, ao longo do início do vídeo que você assistiu, se não prestou atenção, assista de novo.

Logo no começo do vídeo, aparece uma imagem do paraquedista dentro da capsula, em frente à porta aberta e de costas para a câmera.

Essa imagem foi feita com uma câmera normal, com uma objetiva normal, e nela, você não vê nenhuma curvatura no horizonte fora da capsula aparecendo na porta por onde o paraquedista vai saltar.

Depois que ele salta, percebemos que a Terra não gira, quando mudam a imagem do paraquedista para as imagens das pessoas que estão o assistindo, fazem uma fusão dessas imagens das pessoas com uma imagem da Terra girando, uma animação, uma imagem falsa, porcamente produzida,  pois, estranhamente, as nuvens estão congeladas e giram juntamente com a falsa imagem da Terra esférica girante, são imagens falsas e elas são repetidas em outros filmes de apresentação de satélites, astronaves e similares. Compare-as, você vê sempre as mesmas nuvens paradas em movimento com a Terra, são sempre as mesmas imagens animadas.


Me engana, criaturas, vocês podem tentar, mas, só tentar.


Vocês podem auto-enganarem-se e enganar apenas os trouxas. 

Então, se a Terra é imóvel, a Terra não é uma esfera, para quê usarmos cálculos matemáticos para tentarmos provar uma coisa inexistente chamada gravidade?

Gravidade não existe, só existe na cabeça dos doutrinados e doutrinadores bêbados pela falsa ciência, pela pseudociência.

Gastam-se toneladas de papel, milhares de aulas, milhares de ilustrações como se fossem fotos reais e imagens em movimento criadas por programas de renderização, não passam de animações, não são imagens reais filmadas, são apenas imagens criadas através de programas de computador baseadas em softwares de animação 3D, baseadas em ilustrações criativas.

E me chamam de religioso?

Tirem as travas de seus próprios olhos, mestres macaquinhos e alunos chimpanzésinhos.

A Terra é plana e podemos confirmar através de experimentos in loco, através da verdadeira Ciência experimentalista.

Vocês doutrinados e doutrinadores, não apresentam evidências, apresentam apenas calhamaços de cálculos matemáticos, apresentam apenas calhamaços de vídeos, ilustrações, animações computadorizadas e fotos forjadas e trabalhadas, não são reais evidências, são lixo teológico das pseudociências.

Isso não é Ciência, é pseudociência, não apresenta experimentos e evidências comprovadas, testáveis e reproduzíveis, apresenta apenas achismos filosóficos ou evidências fraudadas e forjadas que não podem ser reproduzidas.

A pseudociência não cria nada, apenas escrevem, calculam, escrevem, calculam, ad infinito, não existem cientistas da pseudociência que criaram e criam algo usável.

Somente os verdadeiros cientistas criam, descobrem, inventam, experimentam, para o bem da humanidade.

Os pseudocientistas só criam textos e mais textos sem fundamentos, cálculos sem bases comprováveis e roubam as ideias dos verdadeiros cientistas e inventores, e vendem essas ideias como se fossem deles próprios.

E existem aqueles cientistas que, além de nada criar, por incompetência criativa, tornam-se professores, para espalhar e doutrinar os alunos com as pseudociências, essa é a sua única competência, a doutrinação.

É a velha história: “Se você não tem competência para criar e trabalhar na área, torne-se um professor”...

E ao ler isso, o professorzinho pateta ou seus amiguinhos e alunosinhos, vão apresentar mais e mais cálculos, e mais fotos forjadas, mais vídeos de supostos astronautas no espaço, e mais e mais ilustrações que eles acreditam serem elas, fotos reais, para tentar “provar” que satélites existem, que naves espaciais existem e que foram além da órbita terrestre, que sondas espaciais existem, que telescópios em órbita da Terra existem, que fotos das superfícies da Lua, de Marte, são fotos autênticas, que civilizações extraterrestres existem, que evolução existe, que gravidade existe, que o homem foi até a Lua, etc, etc, etc.

Se liguem, vocês é que são os verdadeiros religiosos e doutrinadores, que acreditam piamente em falsas evidências.
Vão orar usando os textos sagrados de suas pseudociências, macaquinhos.

Vão orar para o santo copérnico, para o santo galileu, para o santo lemaître, para o santo einstein, para o santo darwin, para o santo newton, para o santo Nietsche, para o santo freud, ou, para qualquer um das centenas de santos das pseudociências, escolham à vontade, macaquinhos.

Assistam esses vídeos com as medidas da falsa esfericidade captada com uma fisheye comparando-a com a simulação baseada na suposta esfericidade.:












E agora, uma musiquinha em homenagem a todos os fãs das pseudociências: os professorezinhos e estudantezinhos, digam amém:


   
Tentem me pegar! Eu estou firmado e apoiado na verdadeira Ciência, na Ciência Experimental.

Vocês estão apoiados em castelos de cartas criados pelas pseudociências.

Vão encarar, humanos que acreditam que evoluíram dos primatas?

Vão encarar, vocês que são humanos, mas regrediram mentalmente aos cérebros que lembram chipanzés e macaquinhos?

.
.
.

Bom, pessoal, por enquanto é só.

Nos próximos textos vindouros, abordarei sobre algumas dúvidas que as pessoas têm e argumentam sobre a Terra plana.

Até lá, tenham todos um ótimo início de ano e um feliz 2017.